ursopreto.com

Teoria do Arroz de Loteria: Será que seu Cérebro é Brilhante?

A Teoria do Arroz de Loteria é baseada na ideia de que seu consciente de informações pode ser incrivelmente brilhante, mesmo se você leva uma uma vida considerada normal no ponto de vista acadêmico.
Neurônio – Ilustração por  Raymond


Parece não fazer muito sentido, mas a relação com “arroz de loteria” e ter uma mente criativa que dispensa informações inúteis faz todo sentido.
 

O bem mais precioso que existe é o tempo, o cérebro humano leva um número x de tempo para absorver um número x de informações. Depois disso, leva mais um número x de tempo para selecionar e armazenar definitivamente informações consideradas úteis e deletar as desnecessárias. Tudo isso ocorre de forma semiautomática, um processo que ocorre todos os dias e que mal percebemos.
 
Seu cérebro é uma porcentagem mínima de massa do seu corpo, mesmo assim, precisa de muita energia para funcionar, cerca de 20% do total consumido por você diariamente (isso é energia pra caramba!). Inteligente demais para ser suicida de consumo, o cérebro trabalha, na maioria do tempo, de forma automática, lhe dando a possibilidade de concentração em poucas tarefas. Cria padrões em tudo que ‘observa’ para facilitar a automação e se estende em outros dispositivos, tudo isso para poupar energia (um exemplo de extensão é uma calculadora simples). 
O processo de executar perfeitamente uma receita de arroz simples, mas com a aparência e sabor que somente sua mãe consegue fazer – é o que pode ser a diferença ou não – de uma mente brilhante para uma comum. Isso mostra a capacidade do cérebro em ignorar o que parece não ser muito importante.
Se você prefere estar satisfeito com um arroz de sabor agradável, que não tem a mesma qualidade da receita feita em 10 minutos por sua mãe, mas que possui o mesmo valor nutricional notado por seu cérebro, isso pode ser um sinal de brilhantismo e criatividade, pois é uma evidência de que suas conexões cerebrais estão sendo ativadas com coisas mais “importantes”. 
Claro que para essa teoria valer, uma série de fatores precisa ser levada em consideração, e esse exemplo não vai se encaixar na sua vida, mas imagine aquelas tarefas corriqueiras que você só precisa de alguns minutos para executar e depois de alguns anos fazendo isso semanalmente ainda não conseguiu ainda realiza-la com perfeição e não está nem um pouco preocupado em conseguir. E por outro lado, executa com facilidade as tarefas consideradas difíceis pela maioria das pessoas, e além disso, está sempre buscando conhecimento que avalia como útil, mesmo o conhecimento geral das coisas. 
O Arroz de Loteria nada mais é que uma tarefa executada no semiautomático que depende de variáveis aleatórias para ter um resultado positivo, hora você fará um arroz parecido com o de sua mãe, hora esse arroz não faz diferença alguma, pois estará misturado com outros alimentos. 

Como saber se você está incluso nessa teoria? 

Certifique que seu grau de perícia de execução  na grande maioria das tarefas corriqueiras, seja favorável, digo, você consegue executar tarefas que só faz por obrigação ou precisão com perfeição acima de 70%. Por exemplo, se você não gosta de dirigir e mesmo assim precisa ir trabalhar todos os dias, já faz o percurso há vários anos e nunca chegou nem perto de causar um acidente, sua perícia de direção é acima da média. Isso é baseado na sua falta de interesse pelo aprendizado da tarefa e eficácia de aprendizado e execução mesmo sem querer. 
Ao chegar no posto de trabalho, executa com facilidade as tarefas a você cabíveis, não precisa estudar feito louco para as tarefas da faculdade que cursa num tempo corrido, pois consegue resultados bem acima da média sem muito esforço. 
Existem vários exemplos que poderiam preencher um livro, mas a ideia é basicamente essa.  
Já parou pra pensar como aquele empresário sem estudo conseguiu chegar tão longe? Seria apenas sorte ou capacidade de organização de ideias? 
Espero ver comentários com novas ideias contra ou a favor dessa teoria nos comentários. 

Neurônio – Ilustração por  Raymond