ursopreto.com

Para que serve cada Animal nos experimentos científicos?

Já parou pra pensar no quão é difícil desenvolver drogas a partir do zero? E que pra isso é preciso que sejam feitos dezenas, centenas e até milhares de testes em animais para que uma droga específica seja desenvolvida?  Quais animais viram cobaias desse testes? 
Imagem Jona Dinges

Alguns testes em animais já estão sendo dispensados graças a usabilidade de partes de bois mortos. Usa-se por exemplo: o olho do boi para testes de produtos para irritações nos olhos. Uma porcentagem pequena de apenas 8% dos produtos testados em animais funcionam, por isso sempre será necessário o teste em humanos. 

Sempre que se fala em testes com cobaias animais, é gerada toda uma polêmica, mas as vezes uma opinião é dada precocemente e com hipocrisia, pois graças aos testes em animais, temos hoje uma grande variedade de vacinas, remédios e técnicas avançadas de cirurgias

Eu particularmente não aprovo testes em animais para criação ou aperfeiçoamento de produtos cosméticos. Infelizmente isso acontece e muito. 

Existem diversos animais usados para benefícios sérios, cada animal é usado numa área especifica, veja a seguir que áreas são essas: 

Ratos e Camundongos – Usados em 93% dos testes.

  • Anticoagulantes
  • Vacina da Pólio
  • Remédios para Hipertensão
  • Drogas que combatem a Rejeição a transplantes
  • Novas drogas contra o Câncer
Coelhos – usados em 1% dos testes.
  • Transplante de córnea
  • Inaladores para asma
  • Remédios para baixar o colesterol
  • Irritação na pele
  • Irritação no olho
Porquinho da Índia – usados em 1% dos testes.
  • Vacinas contra tétano
  • Diálise
  • Inaladores para asma
  • Potenciais cancerígenos 
  • Toxicidade reprodutiva 
Porco – 0,5% dos testes.
  • Tomografia computadorizada
  • Pele humana artificial
  • Produtos dermatológicos 
  • Angiopatia
Cachorro – 03% dos testes.
  • Tratamentos de diabetes 
  • Estudo das artérias
  • Cirurgias cardíacas 
  • Transplante de rim
  • Angioplastia
  • Marca passo
  • Cardiotoxicidade
  • Pesticidas 
Chipanzé – 0,25% dos testes 
  • Incubadoras para prematuros 
  • Combate ao HIV
  • Pesquisas de vacinas
  • Experimentos militares 
  • Estudo do mal de parkinson 
Lulas e Polvos – 1,95% dos testes
  • Usados para testes do Cérebro 
Concluindo, o uso de animais em testes científicos é um sacrifício necessário quando se visa a melhoria das técnicas e medicamentos para a melhoria da saúde humana. 
Fonte: revista Super interessante – dezembro de 2013.