ursopreto.com

27 Trechos Ácidos e Críticos de Músicas de diversos cantores Brasileiros

Existem alguns fatores que fazem de uma música um hit, mas outros fatores transformam músicas em símbolos marcantes, inesquecíveis. Tenho certeza que críticas ácidas em letras consagradas se encaixam nesses fatores que, colocam músicas como uma das melhores formas de expressões existentes.

É fácil, muito fácil se lembrar de melodias de músicas chicletes, talvez aquela que foi feita para marcar o carnaval de um certo ano, ou aquele tema de abertura de um desenho que marcou sua infância, uma paródia infernal de letra fácil de decorar, etc… porém nos esquecemos (ou não) de músicas que nos engrandece intelecto, política e criticamente em vários assuntos importantes. 

Há alguns anos atrás, diversos compositores dos mais diferentes ritmos musicais se dedicaram a criticar de forma intrusiva, o sistema como um todo. Destacando a importância do confronto intelectual para a criação de sistemas de cobranças populares pelo país, muitas vezes, representando aqueles que estavam ocupados demais em não passar fome. Se isso é uma desculpa, não sei, só sei que houve mudanças, e o que vemos hoje é, mesmo que ainda não muito, pessoas mais interessadas com o futuro do país.  

Algumas se enquadram aqui por fazerem críticas pesadas a sociedade e/ou algumas atitudes.

Mas claro, nem sempre as críticas eram direcionadas para um ponto específico, criticar o próximo é expor uma opinião, é viver, e os pontos de vista devem ser respeitados. 

Essa é uma pequena amostra de de trechos de letras de músicas ácidas que são símbolos de críticas no Brasil. E, pra ficar interessante, não citarei o nome da música, apenas o nome da banda/cantor(a)/grupo.:

RAUL SEIXAS
Eu não preciso ler jornais
Mentir sozinho eu sou capaz
Não quero ir de encontro ao azar

LEGIÃO URBANA 
Mas o Brasil vai ficar rico
Vamos faturar um milhão
Quando vendermos todas as almas

Dos nossos índios num leilão

ZÉ RAMALHO
O povo foge da ignorância
Apesar de viver tão perto dela
E sonham com melhores tempos idos
Contemplam esta vida numa cela

ENGENHEIROS DO HAWAII
Aonde leva essa loucura
Qual é a lógica do sistema
Onde estavam as armas químicas
O que diziam os poemas

TITÃS
Mundo pequeno
Vida curta
Combinaram no dia de São Nunca
Ele cianureto
Ela cicuta
Brindaram o momento
Dois filhos de uma puta

EDI ROCK
Deformação de família
Informação de guerrilha
Correr da dor dessa trilha
Informação de quadrilha
Pondo os malotes em pilha
Herança pra minha filha
Vou viver bem, igual quem rouba lá em Brasília

RACIONAIS MC’S
Olhando pra cá, curiosos, é lógico
Não, não é não, não é o zoológico
Minha vida não tem tanto valor
Quanto seu celular, seu computador

ENGENHEIROS DO HAWAII
Nessa terra de gigantes
Que trocam vidas por diamantes
A juventude é uma banda
Numa propaganda de refrigerantes

RACIONAIS MC’S
Aqui não vejo nenhum clube poliesportivo
Pra molecada frequentar, nenhum incentivo
O investimento no lazer é muito escasso
O centro comunitário é um fracasso
Mas aí, se quiser se destruir está no lugar certo
Tem bebida e cocaína sempre por perto
A cada esquina 100, 200 metros
Nem sempre é bom ser esperto
Schmith, Taurus, Rossi, Dreher ou Campari
Pronúncia agradável, estrago inevitável
Nomes estrangeiros que estão no nosso meio pra matar

ENGENHEIROS DO HAWAII
Todo mundo tá revendo
O que nunca foi visto
Todo mundo tá comprando
Os mais vendidos

MV BILL
Como pode ser tragédia a morte de um artista
E a morte de milhões, apenas uma estatística ?
Fato realista de dentro do Brasil
Você que chorava lá no gueto, ninguém te viu

O RAPPA
A minha alma tá armada e apontada
Para cara do sossego!
Pois paz sem voz, paz sem voz
Não é paz, é medo!

LEGIÃO URBANA
Esse é o nosso mundo
O que é demais nunca é o bastante
E a primeira vez é sempre a última chance
Ninguém vê onde chegamos:
Os assassinos estão livres, nós não estamos

CHARLIE BROWN JR.
E toda fé que eu tenho
Eu tô ligado
Que ainda é pouco
Os bandidos de verdade
Tão em Brasília, tudo solto

TITÃS
Te chamam de viado, de sujo de incapaz
Te chamam de macaco
Quem são os animais? 

O RAPPA
Espaço é curto quase um curral
Na mochila amassada uma quentinha abafada

RACIONAIS MC’S
Pesadelo? é um elogio
Pra quem vive na guerra a paz nunca existiu
No clima quente a minha gente soa frio
Vi um pretinho, seu caderno era um fuzil

Veja, olha outra vez o rosto na multidão

A multidão é um monstro sem rosto e coração

LEGIÃO URBANA
Quem me dera ao menos uma vez
Que o mais simples fosse visto
Como o mais importante
Mas nos deram espelhos e vimos um mundo doente

JIGABOO
Rebelião ibope na televisão
muda de canal não aguento mais ver isso não..
é sempre assim , bem assim que acontece
ou você condena ,ou você esquece
gente que nunca correu atrás de nada e tem o que quer sempre de mão beijada
classificando a mulecada de marginal ….11, 12, 13 anos acha que é normal, coloca dificuldade,em todos os sentidos, diz que a maioria ali dentro tá perdido, insisto a maioria não é todo mundo gente desqualificada ta cuidando do assunto, e inocente que seja apenas esse ou aquele..não interessa, tem mais é que olhar por ele, ou será que aqui pobre que não canta ou joga futebol
nunca terá um lugar ao sol….. 

GABRIEL O PENSADOR
Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer
E muita greve, você pode, você deve, pode crer
Não adianta olhar pro chão
Virar a cara pra não ver

SABOTAGE
Zona sul, conheço um povo todo inibido
Tanta promessa, enrolação acaba nisso

GABRIEL O PENSADOR
Certas frases conhecidas são mentiras e ninguém nega
(por exemplo?) “A justiça é cega!”
Quem prega isso é canalha (psh! Não espalha)
Porque aqui a justiça tarda… E falha!

FACÇÃO CENTRAL
O sistema tem que chorar mas não com você matando na rua
O sistema tem que chorar vendo a sua formatura

MV BILL
Mais de 500 anos de angústia e sofrimentos
Me acorrentaram, mas não meus pensamentos
Salve ! Salve ! Salve!
Oh ! pátria amada, mãe gentil
Poderosos do Brasil
Que distribuem para as crianças cocaína e fuzil

CAZUZA
Não me ofereceram
Nem um cigarro
Fiquei na porta
Estacionando os carros
Não me elegeram
Chefe de nada
O meu cartão de crédito
É uma navalha

ZÉ RAMALHO
Um país onde os homens confiáveis
Não têm voz, não têm vez, nem diretriz
Mas corruptos têm voz e vez e bis
E o respaldo de estímulo incomum
Um país que engoliu a compostura
Atendendo a políticos sutis
Que dividem o Brasil em mil Brasis
Pra melhor assaltar de ponta a ponta
Pode ser o país do faz-de-conta
Mas não é com certeza o meu país

Deixe seu trecho crítico de música preferida nos comentários! (podemos criar uma nova lista!)